Páginas

terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Foram dois posts de desabafo.
Agora um post, acho que o ultimo deste ano.
Bem, neste ano eu fiz 10 anos de algo que marcou muito a minha vida. Não quero entrar em detalhes, porque não é bom. Não é bom mesmo.
Dedico este post para dizer que este ano não foi tão bom quanto eu pensei que fosse ser. Na verdade, foi um ano normal, esquisito, em que eu usei mais a razão do que o coração. Aprendi muitas coisas, muitas mesmo...aprendi a ser mais esperta. A ter mais coragem, a ser mais cara de pau. A gostar de quem sempre esteve do meu lado. Acho que aprendi a ser um pouco mais justa. Aprendi coisas sobre mim que eu não conhecia.
Aprendi que um choro pode salvar uma vida. Aprendi a ter fé e acho que esta foi a mais importante de todas as lições. Aprendi que não deve-se confiar na sorte. Não mesmo, ela é falha demais. Aprendi a amadurecer. Aprendi a ter um pouco mais de coração, ser mais solidária.
Aprendi que minha intuição, antes infalível, na minha old-conception pode falhar. E falhar de verdade. Aprendi que um pesadelo que eu tenha numa noite não significa nada. O que importa é o que fazemos para que aquilo não seja realizado.
Aprendi que mensagens devem ser mais enxutas e diretas.

Ano que vem, chamarei de ano da inovação..
apesar de viver num mundo capitalista, eu não viro as costas para ele e saio criticando o sistema. Até porque, eu amo propagandas bem boladas.
Gostei dessa..por isso, o ano da inovação:



Até a próxima.
Eu tenho ser uma pessoa boa para com o próximo. Tento ajudá-los na medida do possível, mas ultimamente eu venho estado triste.
As pessoas são todas é burras. Melhor, burras não, cegas! Parecem que não veem o que o outro faz e já fez com elas. Simplesmente esquecem. Esse tipo de burrice/cegueira costuma ser da mais irritante. Tento ajudar, mas hoje em dia ninguem acredita em ajuda. É difícil para mim ver alguem querendo tanto algo e não conseguir ter. Dá dó. Então, eu vou lá e tento ajudar essa pessoa, só dar uma força pra que ela consiga o que quer. As vezes, se não for o melhor para ela, eu não ajudo. Não quero chegar a conclusão de que eu sou vítima de nada, porque não sou vitima de porcaria nenhuma. Só quero que cheguem a conclusão de palavras que me deixam arrepiada como: união, justiça e merecimento. São palavras das quais vemos raras aplicações hoje em dia.
Escrevo aqui para tentar não parecer cult nem nada. Não escrevo porque gosto de aparecer, até porque não gosto de divulgar as minhas coisas. Escrevo simplesmente pela vontade de escrever. Uma forma de desabafar, de estravazar tristezas, alegrias, angustias, dores, sentimentos..
Escrevo apenas pela vontade. Única vontade de mudar.

segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

César Cielo acordou ás 4 da manhã do dia 1 de janeiro para treinar para as olimpíadas da china. Professores, hoje mestres, não tiveram férias durante anos. Alberto não sabe o que são férias desde que começou seu negócio. Artistas, atletas, empresários, estudantes, não importa. Aprendi que para se conseguir uma grande coisa, precisa-se de algum sacrifício.
Sacrifício lembra uma palavra triste, mas se é para um bem, pessoal ou humanitário, é necessário.
Eu fiquei noites e mais noites sem dormir, perdi eventos imperdíveis, tive fé, acreditei com todas as minhas forças. Vi que sou mais forte do que eu penso.
E em toda essa brincadeira, eu consegui. Eu venci. Achei que morreria na praia.
Achei que iria manter o azar que eu tive o ano todo. Levei tombos e mais tombos, mas o que importa é o ditado chinês: caia sete vezes, levante-se oito.
César Cielo, professores mestrados, Alberto e até eu e muitos outros..somos exemplos de que superação vem junto com dedicação, fé, força de vontade e um sacrificiozinho.
Esses caras ficaram sem férias (graças a deus eu tenho as minhas), mas eles venceram. Ganharam premios que eles jamais puderam imaginar. Fico feliz por eles. Fico orgulhosa por cada pessoa que luta com garra por cada coisa que quer e não quer apenas que tudo caia do céu.

É bom saber que TODO o meu esforço valeu REALMENTE a pena. É o AUGE, neguin! :)

domingo, 14 de dezembro de 2008


Come on, Vogue...
ai meu deus! tem pouquíssimas horas pela frente pra um dos melhores shows do ano. Quiçá de minha vida.
Será que ela vai tocar 3h? Será que ela bater o recorde do Pearl Jam?

AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA
próximo post eu conto!

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Falta inspiração..ela me veio mas foi embora.
Preciso de um momento de imensa felicidade.
Ela tá escapando facilmente pelas minhas mãos.
Tô indo, vou lutar pra que ela fique.

Happiness is a warm gun, yes it is.

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

18 anos.

É incrível.
Eu sou maior de idade, nada mudou. Nada mesmo. Tirando o fato de que eu vou ter que mudar a minha carteira de identidade e vou poder entrar na boate sem ser barrada. Vou poder dirigir, vou poder ser presa. Mas vivo sob o mesmo teto que mamãe e vou ter que pedir autorização dela pra tudo.
Ah! ¬¬

Então, é isso. Eu posso dizer que agora eu sou um pouco mais adulta para algumas pessoas, para outras, eu continuo sendo a mesma criança de sempre.


Mas o bom dessa idade é que é um número par e eu gosto mais de números pares (comentário absurdamente irrelevante). Além de não ter tanta coisa mudada, tem alguma coisa mudada. Pelo menos, quando se é menor e só continua sendo menor nada muda, não é mesmo?
Então, alguma coisa mudou..." Mudaram as estações,nada mudou". É nessa contradição meio Cássia/Nando Reis que eu vou concluir o meu post.

Não mudou muita coisa, só fiquei mais velha, tive um dia de aniversário com 4 provas e duas matérias aprovadas! :)

Esperando as outras...