Páginas

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Dando uma pausa no meio dessa confusão pra escrever. Eu não vou falar de minha vida somente, como faço entre linhas ou mesmo diretamente. Vou falar do que eu vejo e que gostaria de ser mudado.

O que eu sinto falta nesse mundo é de um pouco mais de amor. Amor não se tratando apenas de sentimento entre pessoas. Se trata, também, de amor entre o que fazemos, vivemos. O que eu vejo são uma sucessão de robôs. Cada vez mais robôs. Pessoas que vão fazendo tudo com a barriga, se contentam com um problema instalado na vida delas. Pessoas que se acostumaram com uma frustração. Vejo poucas que lutam pelos seus sonhos, que não tem medo de ve-lo realizado, que estão sempre procurando enfrentar suas dificuldades.
O que eu sinto falta é de amor. Tratando-se de união entre as pessoas. De companheirismo, de troca mútua. Pessoas que tratam os seus amores com um pé atrás. Pessoas que não querem acreditar nas outras. Pessoas falsas. Gente que pega o ônibus, ve que tem alguém pedindo dinheiro e não ajuda nem sequer com 5 centavos.
O que eu sinto falta é de amor, na verdade, é de respirar amor. Ver que as pessoas ainda sentem uma paixão, um amor por aquilo que fazem. Sinto falta de ver finais felizes. De pessoas que mesmo tendo uma derrota, sabem encarar como uma vitória.
Gente que é mais humana, com mais compaixão.
O que eu sinto falta é de mudança em relação a essas coisas. Você sabe onde está? Eu sei. Está mais perto do que vc imagina. Está dentro de vc. Posso te dar um conselho? Lute por isso.

Seja a mudança que vc quer ser no mundo, como diria Mahatma Gandhi.

Até a próxima.